Cinema


Fora do figurino


Estreia hoje,  22 de março, o tão aguardado Fora do Figurino: as medidas do jeitinho brasileiro, documentário que trata da falta de um levantamento antropométrico capaz de apontar as medidas brasileiras médias

Rodado nos últimos quatro anos entre Brasil e EUA, traz depoimentos de vários personagens, dos anônimos da indústria da confecção, tanto brasileiros, como americanos - onde há uma padronagem dos tamanhos - a personalidades como as apresentadoras Ana Maria Braga e  Adriane Galisteu e o ator Odilon Wagner, dentre outros.

Dirigido por Paulo Pélico, o documentário cumpre bem seu papel de levantar a polêmica da falta de padronagem nos tamanhos das roupas, mostrando, inclusive, o quanto a própria indústria perde com isso, mas  peca um pouco quando tenta expandir muito o assunto, questionando coisas como o tamanho dos caixões e também dos corrimãos.

Ficha Técnica
Fora do Figurino: as medidas do jeitinho brasileiro
Roteiro e direção: Paulo Pélico
Câmera e Direção de Fotografia: Fernanda Riscali
Direção de Produção: Juliana Munhoz Grangieri, Maria Laura César 
Direção Musical:  Tunica
Música Original: “Amanheceu” de Itamar Vidal
Edição: Luíz Fernando Castiglioni, Bruno Lasevicius
Edição de som: Mirian Biderman
Produção: Casa Jabuticaba
Distribuição: Raiz Filmes
__________________________________


Cinema: o Espelho da Cultura da Sociedade

Este é o tema da palestra que Stevan Lekitsch escritor, jornalista, teatrólogo e cineasta vai apresentar na Livraria da Vila

Fazendo um paralelo entre décadas e fatos históricos, principalmente dos eixos Estados Unidos, Europa e, claro, o Brasil, o autor do livro “Cine Arco-Íris” irá relatar acontecimentos importantes e o impacto para as salas de projeção, desde 1895 quando oficialmente teria sido inventado o cinema até hoje.

Ele vai falar de diversos filmes imperdíveis que não podem faltar em nenhuma filmografia ou cinemateca particular. “O Cinema nada mais é que o registro do que está acontecendo em cada parte do mundo. Apenas transferimos os acontecimentos para a grande tela, como forma de perpetuar os fatos. Esse é o mote da minha palestra, que vai agradar a quem gosta e quer saber mais sobre o Cinema Nacional e Mundial”, diz o autor.

Todos poderão conferir a evolução desde os Irmãos Lumière 
(Auguste e Louis) com a invenção da primeira sala de cinema, até marcos da história como: o primeiro filme brasileiro mudo (1897) e o primeiro sonoro (1929), a criação da premiação do Oscar (1929), as dificuldades do segmento no período da Segunda Guerra Mundial, o primeiro desenho animado em cores (1937), o surgimento das consagradas divas, o primeiro filme nacional colorido, as adaptação de obras literárias brasileiras, entre outros.


A palestra é gratuita e acontecerá dia 14 de março das 19h30 às 21h30, na Livraria da Vila, localizada na Alameda Lorena, 1731. Para saber mais sobre Stevan Lekitsch, acesse: www.stevanlekitsch.com.br


__________________________________



Oscar 2013

Conheça todos os indicados e os vencedores da maior premiação do cinema mundial

Filme

O anúncio do nome do vencedor foi feito direto da Casa Branca pela primeira-dama dos EUA, Michelle Obama, que estava muito bela.

Indomável sonhadora
O lado bom da vida
A hora mais escura
Lincoln
Os Miseráveis
As aventuras de Pi
Amor
Django livre
Argo
 - vencedor

Diretor
Michael Haneke (Amor)
Benh Zeitlin (Indomável sonhadora)
Ang Lee (As aventuras de Pi) - vencedor
Steven Spielberg (Lincoln)
David O. Russell (O lado bom da vida)

Ator
Daniel Day-Lewis (Lincoln) - vencedor
Denzel Washington (Voo)
Hugh Jackman (Os miseráveis)
Bradley Cooper (O lado bom da vida)
Joaquin Phoenix (O mestre)
 
Atriz
Naomi Watts (O impossível)
Jessica Chastain (A hora mais escura)
Jennifer Lawrence (O lado bom da vida) - vencedora
Emmanuelle Riva (Amor) -
 a mais "madura" já indicada para o prêmio. Ela tem 86 anos
Quvenzhané Wallis (Indomável sonhadora) - mais jovem indicada da história do prêmio, tem apenas 9 anos de idade.

Ator coadjuvante
Christoph Waltz (Django livre) - vencedor
Philip Seymour-Hoffman (O mestre)
Robert De Niro (O lado bom da vida)
Tommy Lee Jones (Lincoln)
Alan Arkin (Argo)

Atriz coadjuvante
Sally Field (Lincoln)
Anne Hathaway (Os miseráveis) -
vencedora
Jacki Weaver (O lado bom da vida)
Helen Hunt (The sessions)
Amy Adams (O mestre)

Filme estrangeiro (O Brasil não tem representante)
Amor (Áustria) - vencedor
No (Chile)
War witch (Canadá)
O amante da rainha (Dinamarca)
Kon-tiki (Noruega)
 
Roteiro original
Michael Haneke (Amor)
Quentin Tarantino (Django livre) - vencedor
John Gatins (Voo)
Wes Anderson e Roman Coppola (Moonrise kingdom)
Mark Boal (A hora mais escura)

Roteiro adaptado
Chris Terrio (Argo) - vencedor
Lucy Alibar e Benh Zeitlin (Indomável sonhadora)
David Magee (As aventuras de Pi)
Tony Kushner (Lincoln)
David O. Russell (O lado bom da vida)

Animação
Valente - vencedor
Frankenweenie
ParaNorman
Piratas pirados!
Detona Ralph

Documentário em longa-metragem
5 broken cameras
The gatekeepers
How to survive a plague
The invisible war
Searching for a sugar man - vencedor

Documentário em curta-metragem
Inocente - vencedor
Kings point
Mondays at Racine
Open heart
Redemption

Fotografia
Anna Karenina
Django livre
As aventuras de Pi - vencedor
Lincoln
007 – Operação Skyfall

Edição
Argo - vencedor
A vida de Pi
Lincoln
A hora mais escura
O lado bom da vida

Trilha sonora original
Dario Marianelli (Anna Karenina)
Alexandre Desplat (Argo)
Mychael Danna (As aventuras de Pi) - vencedor
John Williams (Lincoln)
Thomas Newman (007 – Operação Skyfall)

Canção original
Before my time de Chasing ice – J. Ralph (música e letra)
Everybody needs a best friend, de Ted – Walter Murphy (música) e Seth MacFarlane (letra)
Pi's lullaby de As aventuras de Pi – Mychael Danna (música) e Bombay Jayashri (letra)
Skyfall de 007 -  Operação Skyfall – Adele (música e letra) - vencedora
Suddenly de Os miseráveis – Claude-Michel Schönberg (música), Herbert Kretzmer (letra) e Alain Boublil (letra)

Efeitos visuais
O hobbit: Uma jornada inesperada
As aventuras de Pi - vencedor
Os vingadores
Prometheus
Branca de Neve e o caçador

Edição de som
Nesta categoria aconteceu algo raro: um empate entre dois concorrentes
Argo
Django livre
As aventuras de Pi
A hora mais escura - vencedor
007 – Operação Skyfall - vencedor


Mixagem de som
Argo
Os miseráveis- vencedor
As aventuras de Pi
Lincoln
007 – Operação Skyfall

Melhor curta-metragem
Asad
Buzkashi boys
Curfew - vencedor
Death of a shadow (doos van een schaduw)
Henry

Curta-metragem de animação
Adam and dog
Fresh guacamole
Head over heels
Maggie Simpson in 'The Longest Daycare'
Paperman - vencedor

Figurino
Anna Karenina - vencedora
Os miseráveis
Lincoln
Espelho, espelho meu
Branca de Neve e o caçador

Design de produção
Anna Karenina
O hobbit: Uma jornada inesperada
Os miseráveis
A vida de Pi
Lincoln - vencedor

Maquiagem e cabelo (cabelo entra pela primeira vez no Oscar)
Hitchcock
Os miseráveis - vencedor
O hobbit: Uma jornada inesperada


__________________________________

As sessões



O filme conta a história real de Mark O'Brien, interpretado por John Hawkes, não muito conhecido por aqui, mas com uma atuação impecável. Em 2010 ele foi indicado ao Oscar de ator coadjuvante por Inverno da Alma. Mark é um escritor e poeta que quando criança teve poliomielite, que lhe deixou apenas com os movimentos da cabeça e o fez passar a maior parte da vida dentro de um aparelho chamado de pulmão de aço

Católico e muito religioso, Mark visita com frequência a igreja, onde mantém diálogos inusitados com o padre Brendan (William H. Macy, de Motoqueiros Selvagens – ótimo no papel de beato). Numa dessas conversas ele pede autorização do padre para contratar uma profissional e ter sua primeira relação sexual, já que sem isso se sente um homem incompleto.

Autorizado pelo religioso, ele começa a fazer terapia sexual e é indicado a contratar os serviços de Cheryl Cohen Greene (vivida por Helen Hunt – vencedora do Oscar em Melhor Impossível), uma especialista em exercícios de consciência corporal, que o inicia no sexo. O filme é baseado no livro homônimo que conta a trajetória profissional de Cheryl. Mark foi um de seus pacientes.

Helen Hunt, como sempre está ótima, agora John Hawkes está brilhante. Com tão poucos recursos corporais ele consegue passar as emoções que vive em cada cena. Fica difícil entender como ele não levou o Globo de Ouro, mesmo reconhecendo o talento de Daniel Day Lewis (que ficou com o prêmio por interpretar o presidente americano Lincoln). Hunt perdeu para Anne Hathaway de Os miseráveis. 

O filme do diretor Ben Lewin não se propõe a contar a trajetória heróica de Mark, nem tão pouco fica detido na história de Cheryl. Passa de forma delicada por ambas, mostrando dilemas de seres humanos, suas limitações, anseios, conquistas e amores.

No Brasil o filme tem estreia prevista para 15 de fevereiro/13.

Nenhum comentário: